Curso Gestão de Crise no Ambiente Corporativo 2017

janeiro 9, 2017  |  sem comentários  |  by TFS Comunicação  |  Release

Quando uma empresa enfrenta uma crise, mais que sua reputação, entra em risco sua própria existência. A crise, se mal gerenciada, pode afetar os resultados financeiros pela queda nas vendas, ocasionar perda do valor de mercado, reduzir investimentos, gerar pagamento de indenizações e multas, entre outras. E a pior crise é aquela para a qual a empresa não está preparada. Mas como identificar os sinalizadores que antecipam uma crise? Como administrar uma crise em tempos de mídias sociais e notícias em tempo real?
Para responder a estas e outras perguntas, a FACHA promove o curso Gestão de Crise em Ambiente Corporativo. O curso tem por objetivo identificar as áreas e situações mais vulneráveis de uma organização, orientar para a prevenção de crises no ambiente empresarial e instruir para as ações de comunicação a serem tomadas, antes, durante e após a crise.
As aulas começam em abril, das 18h30 às 21h30 na sede da Facha (Rua Muniz Barreto, 51, Botafogo, Rio de Janeiro), e serão ministradas pelas jornalistas e professoras Bette Romero e Terezinha Santos.

As professoras:
Bette Romero é jornalista e professora de MBA e pós-graduação. No jornalismo empresarial, foi assessora de imprensa da Burson-Marsteller, da Secretaria de Meio Ambiente de São Paulo, da AssociaçãoBrasileira da Indústria Farmacêutica (Abifarma) e da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), entre outras. Atualmente, é Diretora da Background Maxx Comunicação. Na área acadêmica, é Mestre em Educação, professora de MBA na Universidade Católica de Petrópolis/Ipetec e na pós-graduação do Instituto de Gestão em Comunicação (IGEC/Facha).
Terezinha Santos é jornalista, palestrante e ex-professora da Universidade Gama Filho. É formada em jornalismo pela FACHA, pós-graduada em Comunicação Empresarial pela Estácio, Comunicação Empresarial International Aberje/Syracuse University, Nova York, em 2014. É diretora TFS Comunicação e Marketing. Foi consultora de comunicação de crise na Petrobras, gerente de comunicação na Golden Cross, gerente de relações externas na CEG e CEG Rio e assessora de imprensa na Fiocruz.
Público alvo: estudantes e profissionais ligados à área de comunicação.
Mais informações: http://extensao.facha.edu.br/cursos/gestao-administracao-e-marketing/273-gestao-de-crise-no-ambiente-empresarial




Gestão de Crise e Mídias Sociais

outubro 13, 2016  |  sem comentários  |  by TFS Comunicação  |  Artigos, Notícias

Por Terezinha Santos, consultora de comunicação de crise

Eu pertenço à última geração que nasceu e se formou antes do advento da internet e depois se adaptou. A última off-line que agora opera on-line. As novas gerações são todas on-line. Nenhum ramo do conhecimento ficou indiferente a essa revolução. Está tudo dominado.
Então, como gerenciar uma crise nas mídias sociais? Na verdade, ninguém se sente preparado para enfrentar esse tipo de situação. Cada crise é uma crise. Um dia a crise virá, estando a empresa preparada ou não para lidar com ela, quer esteja presente ou não nas mídias sociais.
A primeira reação da empresa tende a tratar a crise como se ela fosse uma crise na imprensa, o que muitas vezes piora a situação. Ocorre que uma pequena crise que começa numa determinada mídia social e a empresa decide responder através de um comunicado para imprensa, acaba potencializando o problema, levando o caso que estava confinado numa mídia social para os jornais.

Os passos são os seguintes:
- Monitorar as redes sociais
- Vasculhar os principais sites de notícias e outras fontes importantes de informação do negócio da empresa.

Time de resposta à crise:
- Montar um para tratar e resolver a crise e outro focado na comunicação
- Reconhecer o problema
- A empresa não pode se fingir de cega ou surda, pois isso vai aumentar o potencial barulho na rede.

Definir públicos de interesse:
- Mensagens específicas para os públicos de interesse da empresa.
- Resposta da crise na mesma mídia social onde ela apareceu
- A primeira resposta tem que ser na mídia social onde o problema começou.

Pedir desculpas:
- Se a empresa cometeu um erro, peça desculpas, pois os clientes e a sociedade respondem positivamente.

Velocidade:
- Se a empresa não responder rapidamente, alguém vai responder e talvez de maneira equivocada.

Mensagem principal:
- Preparar um posicionamento, alinhado com os gestores.

Perguntas & Respostas:
- Além de responder a crise no mesmo canal em que ela apareceu, criar uma webpage de perguntas e respostas. Apontar um link em vez de escrever um texto de resposta para cada pergunta.

Criar um local para desabafos:
- Criar um local sob o controle da empresa. Pode ser uma página no Facebook, num blog, ou na seção de comentários de webpage “Perguntas & Respostas” da crise. Manter a conversa off-line, se necessário

Identificar o momento certo para oferecer um endereço de e-mail ou um número de telefone para determinado queixoso, para evitar conversas infinitas.

Manter os funcionários informados:
- Os funcionários são porta-vozes poderosos da empresa para suas famílias, colegas e amigos, mas também podem vazar informações. É um público prioritário que requer mais atenção.

Porta-voz:
- A empresa deve posicionar-se através de um ou mais porta-vozes, que poderá usar a mídia social como canal de comunicação com o público de interesse. Numa situação mais crítica, gravar um vídeo para colocar no YouTube.

Suspender as ações de marketing e de promoções:
- Desativar as mensagens nas mídias sociais não relacionadas à crise. Desligar os tweets automáticos, desativar o e-mail marketing e promoções etc.

Para aprender com a crise:
- Mapear a crise desde o começo, com a linha do tempo e a análise de todos os monitoramentos e ações tomadas;
- Analisar se o plano de comunicação funcionou, se crise online interferiu na imagem da empresa e o que poderia ser feito de forma diferente.